Maria Thereza do Amaral

Posts Tagged ‘medo’

Um mergulho tão profundo que …

In E... on 7 de julho de 2011 at 3:36

.

Dei um mergulho tão profundo em mim que não sei mais voltar.
Não sou mais o mesmo.

Mudanças, mesmo as boas, tem um que de tristeza.
E medos. Mesclados com tristezas. Muitos.
Não sei se são medos, não sei medo do que, não sei…

Mas…

Tenho medo de sentir tanta saudade do que eu deixar para trás que me derreta de tanto chorar.
Tenho medo de querer conversar com as pessoas essenciais e elas não estarem mais lá.
Tenho medo de perder o prazer de ver, ouvir, sentir minhas pessoas queridas e que isso me incapacite.
Tenho medo de colapsar meu coração por não estar perto de todas pessoas que eu amo.
Tenho medo de construir sonhos estéreis por não serem compartilhados por seres importantes para mim.
Tenho medo de realizar todos meus grandes ideais de Universo e quem realmente importa não estar lá para ver.
Tenho medo de perder a simplicidade .
Tenho medo de virar adulto e me perder nessa adultês estéril que permeia a mediocridade.

Tenho medo de me perder de mim.
.
.

Anúncios

O não-perceber

In E... on 27 de abril de 2010 at 1:05

Moonlight shadow, upload feito originalmente por Heaven`s Gate (John).

.
O não-perceber
.
O complicado do não perceber, paredes, paredes invisíveis que nos encarceram cada vez mais.
.
Altas, castelos de isolamento que quando realmente percebemos nos cercam e sufocam.
.
Estico o braço e as toco, vejo você através delas, mas não falo uma palavra. Fico paralisada pelo medo, pela culpa, por…
.
Assustador.
.
A intensidade é assustadora, um lago fundo e fundo e fundo, e fundo…
.
A vertigem.
.
A percepção que caiu como um bloco e continua me levando,
.
A sensação de estar se perdendo e se achando ao mesmo tempo,
.
O fim do infinito e o começo do viver.
.
Assustador.
.
Mas necessário. E desejado.
.

A noite esconde coisas

In E... on 21 de abril de 2009 at 14:10

A noite esconde coisas.

A noite mostra coisas.

Estou ficando como a noite,

Enxergo coisas que nunca vi,

Não vejo coisas que sempre enxerguei.

Um ser mutante, cheguei ao limite de minha transformação.

Mutei.

Barulhos ocultos.

O medo do que sei que vem,mas não sei o que será.

O medo do que não conheço.

A falta de fé.

A sensação de vertigem a beira do abismo,

Que pode ser da altura de um degrau…

O que vejo: a mim, aos outros, ou os dois ?

O medo que pesa no coração,

medo do desamparo,da solidão.

Medo da ilusão barata,

De falhar comigo,

Do estanque medíocre,

De ver o que não é.

Medo da ajuda equivocada,

do simpático “não-entender”,

do ego desinformado,

de não entender.

Equívoco, entender, ilusão, falha.

A roda do conhecimento.

E da felicidade.

.


Medo…

In Twitter on 16 de abril de 2009 at 0:43

.

.

Medo, prazer, o prazer de fazer do medo uma vida boa.

.

.

%d blogueiros gostam disto: