Maria Thereza do Amaral

Posts Tagged ‘chuva’

E a chuva…

In E... on 6 de abril de 2013 at 21:36

Chove.

E desejo que eu consiga escorrer por entre as pedras da rua e vá embora com toda a água. E chegue até rios. Até mares. Até fossas abissais nunca vistas por mais ninguém.

Que a chuva me lave os pecados, os medos, as angústias. Que a chuva leve embora a neblina que me embaça a vista.

.
After Rain

Raining like crazy

Rain Squall


.

Anúncios

E a chuva … 2

In E... on 6 de abril de 2013 at 21:35

Rain & Night

Chove.

E desejo que eu consiga escorrer por entre as pedras da rua e vá embora com toda a água. E chegue até rios. Até mares. Até fossas abissais nunca vistas por mais ninguém.

Que a chuva me lave os pecados, os medos, as angústias. Que a chuva leve embora a neblina que me embaça a vista.

Upon us all a little rain must fall...

Que a chuva faça o que não fiz a vida inteira: chorar.

Fico querendo que tudo se torne tão líquido, que tudo se torne tudo e nada mais delimite nada.

E fico sentada, vendo a água da chuva escorrer pela janela. Quase escorro com ela, mas fico.

Meus medos são sólidos.

Sem título

E a chuva… 3

In E... on 6 de abril de 2013 at 21:35

Rain

Chove.

E desejo que eu consiga escorrer por entre as pedras da rua e vá embora com toda a água. E chegue até rios. Até mares. Até fossas abissais nunca vistas por mais ninguém.

Que a chuva me lave os pecados, os medos, as angústias.

Que a chuva leve embora a neblina que me embaça a vista.

Que a chuva faça o que não fiz a vida inteira: chorar.

.

Fico querendo que tudo se torne tão líquido, que tudo se torne tudo e nada mais delimite nada.

E fico sentada, vendo a água da chuva escorrer pela janela. Quase escorro com ela, mas fico.

Meus medos são sólidos.

.

Mas subitamente me dou conta que eu comecei a chuva e que eu posso terminá-la.

E me dou conta que ao olhar para fora, não vejo nada.

E me dou conta que ao olhar para o vidro, embaçado e molhado, eu me vejo.

E ao me ver… começo a me enxergar…

E vejo, e enxergo, o que posso, o que irei, o que vou fazer.

E já não vejo mais chuva, neblina ou sombras.

Vejo a mim e sou eu que levanto da poltrona, abro a porta e me deleito na chuva.

.

E como em um círculo perfeito que se tornou espiral, olho em volta e sorrio.

É só do que preciso para estar em outra vida e em outro mundo, olhar para mim.

.

E a chuva

In E..., Fotos on 4 de setembro de 2011 at 2:48
Rain on window, upload feito originalmente por snowbabyk2.

.
..

Chove.

E desejo que eu consiga escorrer por entre as pedras da rua e vá embora com toda a água. E chegue até rios. Até mares. Até fossas abissais nunca vistas por mais ninguém.

Que a chuva me lave os pecados, os medos, as angústias. Que a chuva leve embora a neblina que me embaça a vista.

Que a chuva faça o que não fiz a vida inteira: chorar.

Fico querendo que tudo se torne tão líquido, que tudo se torne tudo e nada mais delimite nada.

E fico sentada, vendo a água da chuva escorrer pela janela. Quase escorro com ela, mas fico.

Meus medos são sólidos.

.

.

Chuva. Mar.

In E... on 23 de novembro de 2010 at 3:14
 

High waves hit coastline of Skye, upload feito originalmente por B℮n.

.
E demoro olhando o mar.

E demoro olhando a linha entre céu-mar.

Fecho os olhos e me sinto ali.

E as coisas começam a fazer sentido.
.

Chuva. Água.

In E... on 23 de novembro de 2010 at 2:59

.

“Chovia. Mas o que o incomodava era suas lágrimas. Mas não tinha retorno. O medo o fez trair sua confiança e ela o havia abandonado.”

Chuva.
Água.
Lágrimas.
Idas sem retorno.
Chances conquistadas.
Voltas em outras oitavas.
Espirais.
E espirais de espirais.
Desenhos construídos por vivências desiguais e intensas.
Música, desenhos, estruturas, outras vidas.
E traições.
Traições desenham novos contornos para velhas vidas.
Medos traçam desenhos para o não-viver.
Lágrimas ácidas, doloridas, incessantes.
Mas medos e as traições que este tipo de medo não constroem nada, destroem.
E assim grandes amores se vão, se perdem, acabam dissolvidos na neblina da covardia.
.

Chuva

In E... on 27 de junho de 2010 at 0:13

Chuva no Rio Negro – Amazônia, upload feito originalmente por Jean Carneiro.

.
Chuva.

As vezes a chuva nos alcança em lugares remotos, de onde não podemos fugir.

As vezes o que era chuva vira tempestade.

As vezes só garoa.

As vezes limpa e expõe tudo que não queriamos enxergar.

Chuva.
.

Purple rain

In E..., Músicas on 7 de maio de 2010 at 15:00

Purple rain, upload feito originalmente por flavita.valsani.

.
A chuva violeta me purifica enquanto me encharca,

A chuva púrpura me faz lembrar você e seus olhos,

A chuva lilás me lembra conversas, passeios, devaneios.

A chuva em que fico parada, pensando, tentando me lembrar como posso ir embora sem você…
Mas a mesma chuva me faz lembrar que você nunca veio de verdade e então sigo em frente assim mesmo.
.

.

Fire and Rain – James Taylor at the Beacon Theatre, New York.

In Músicas on 11 de agosto de 2009 at 2:56

.

Eu vi fogo e eu vi chuva
Eu vi dias ensolarados que eu pensei que nunca acabariam
Eu vi tempos solitários quando eu não pude achar um amigo
Mas eu sempre pensei que veria você de novo

.

.

Fire and RainJames Taylor at the Beacon Theatre, New York

Just yesterday morning they let me know you were gone
Susanne the plans they made put an end to you
I walked out this morning and I wrote down this song
I just can’t remember who to send it to

Continue lendo »

%d blogueiros gostam disto: